Horizonte


Sempre estive sentenciado a viver,
Uma reclusão do mundo,
Longe das pessoas,
Longe das alegrias,
E mais longe ainda do amor.
 
Neste farol de mentiras,
Estou a iluminar o caminho de alguns,
Mas às vezes me pergunto,
Se na verdade não estou a enganar,
Todos os que tentam se aproximar.
 
Daqui de cima eu vejo o horizonte,
O nascer de um novo dia,
O calor do sol em meu rosto,
Caminhos distantes e sombrios,
Sentimentos que eu tento alcançar.
 
Lá no distante horizonte,
É tudo onde eu sempre quis estar.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: